Os castelos nordestinos do Rio Grande do Norte

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Embora sejam popularmente associados à Idade Media Europeia, estruturas com funções semelhantes vêm sendo empregadas desde a Idade da Pedra por todo o planeta. Os castelos, em sua concepção clássica, começaram a surgir no século IX, quer em resposta às incursões Normandas e Magiares ao Norte e ao Centro, quer às lutas da reconquista cristã na Península Ibérica, mas de forma geral como uma manifestação do poder político descentralizado dos senhores feudais. Do século IX ao século XV, milhares de castelos foram erguidos pelo continente. Durante este período os senhores feudais eram a lei e seus castelos, a garantia da segurança e da ordem para as populações locais, as suas colheitas e o seu gado. Essa situação manteve-se até ao surgimento da artilharia.
No nordeste brasileiro, a construção de alguns castelos é mera inspiração nas mágicas estórias europeias e começam a ocupar a paisagem dos sertões nordestinos. O estado do Rio Grande do Norte, concentrou a maior parte deles. Confira alguns logo abaixo:

Castelo Di Bivar – Carnaúba dos Dantas (RN)
Após se inspirar na história de Rodrigo Diaz Bivar, herói espanhol do século Xl conhecido como “El Cid”, o empresário potiguar José Ronilson Dantas ficou encantado com aquele mundo medieval e decidiu recriar uma parte dele ali em sua terra natal, Carnaúba dos Dantas, município localizado a 219 km de Natal. Construído no alto de uma colina, tem arquitetura copiada de um castelo renascentista francês. A obra começou em 1984, mas nunca foi totalmente concluída. Mesmo assim o castelo se tornou uma atração turística da região do Seridó, servindo como cenário do filme “O Homem Que Desafiou o Diabo”, de 2007.

Castelo de Engady – Caicó (RN)

Um local de recolhimento, estudos, meditação e oração no árido município de Caicó, no Rio Grande do Norte. Esse era o objetivo do monsenhor Antenor Salvino de Araújo ao idealizar a construção do castelo Engady. O nome é em referência à fonte em que, na bíblia, Davi encontrava sossego e proteção quando era perseguido pelo rei Saul. O resultado é um castelo de arquitetura próxima ao estilo mouro-medieval, com estrutura composta de pátios, terraços, peitoris, balcões, guaritas, torres, pontes, escadas, batentes, poços, tanques, fortificações, ameias, salas, dormitórios, capela, dependências de serviços domésticos, vigias, muralhas e portões. Construído entre os anos de 1973 e 74, hoje encontra-se abandonado e parcialmente destruído. Em 2006 foi vendido por R$ 225 mil ao governo do Estado, que nada fez para revitalizar o castelo. httptdynadnetpcdc5550001892ord1483968365685httpstdynadnetpcdc5550001577ord1483968374128

Castelo Labirinto de Zé dos Montes – Sítio Novo (RN)
O mais curioso castelo brasileiro fica em Sítio Novo, interior do Rio Grande do Norte, a 114 km de Natal. Ao contrário das histórias de nobreza e inspiração europeia, o castelo de José Antônio Barreto começou com uma visão. Em 1940, Nossa Senhora teria feito uma aparição para o militar reformado pedindo que ele construísse 13 castelos. O Castelo Labirinto do Zé dos Montes é o único pronto. Construído com recursos da aposentadoria de Zé dos Montes (como é conhecido) desde 1984 (está em constante reforma), hoje apresenta cerca de 100 pequenas torres espalhadas pelo castelo, com paredes de terra e teto pintados com cal branco. A aparência lembra antigas construções mouras ou, guardadas as devidas proporções, as obras do arquiteto catalão Gaudí. Por dentro, uma série de labirintos e passagens estreitas levam às torres, proporcionando bela visual da Serra da Tapuia. Está aberto a visitação, com direito a guia e, esporadicamente, a presença do excêntrico Zé dos Montes.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Nossas redes sociais

Publicidade

Veja também

Receba novidades em seu e-mail!

Preencha seu nome e e-mail nos campos a seguir!

Copyright © 2022. Todos os direitos Reservados. Feito por Thiago Regis.